MEDITANDO A “CARTA DE SANTO ANTONIO”

Francisco ao entrar na “caverna”, santuário de sua alma, onde reverencia o Pai, descobre a grandeza do simples. Ali se deixa arrebatar e no convívio místico se torna um com o Todo. Percebe que não precisa de livros, músicas, imagens, qualquer apoio para a divina conexão e, se permite apenas “SER” diante d’Aquele que É.Continuar lendo “MEDITANDO A “CARTA DE SANTO ANTONIO””

Como São Francisco rezava

Quem conhece Francisco, por pouco que seja, percebe que para ele a oração tornou-se vital em seu processo de santificação. Exorta que seus irmãos jamais percam o espírito oracional, fonte que sustenta os relacionamentos humanos. Na juventude, Francisco sonhava com uma realidade mais elevada e acima das experiências mundanas. Sentia que esses sonhos não eramContinuar lendo “Como São Francisco rezava”