Feliz 2021!

Jesus, com a Sua benção, a Misericórdia e a Sua bondade, seguiremos todos os dias com fé.

Mesmo que caminhemos nas sombras dessa Pandemia, sabemos Jesus, que nos sondas e que nos guiará pelos campos verdejantes, que lá fora nos aguarda.

E segurando na Sua mão, temos a certeza de que não precisamos temer mal algum.

Jesus, o Seu olhar nos diz com serenidade: “Calma filho! Vai passar!”

Que junto com o ano que se inicia, chegue a vacina para nos curar e ela chegue também para nos injetar empatia, amor, justiça, caridade, humildade e fraternidade para com todos os nossos irmãos.

Um feliz e abençoado Ano Novo para todos! Que estejamos sempre nessa linda missão Franciscana de caminhar e até cantar a Paz e o Bem por onde passarmos!

Feliz e com saúde 2021 para todos!

Queridos, logo estaremos juntos!  Amor demais para compartilhar!

Ir. Carmen

Ordem Franciscana Secular

Um mundo totalmente inexistente…

Ir. Carmen

Nem imaginava o que seria isso. Pra falar a verdade nem sabia o que significava a palavra Secular.

Mas como digo, que nada é por um acaso. Um dia escutei uma conversa de algumas pessoas e ouvi um nome que me interessou: São Francisco de Assis. Nossa, sempre gostei, admirei Francisco! Mas fiquei na minha. Até que um dia uma amiga do curso de Teologia me perguntou se eu estaria interessada em conhecer a vida do santo. Fiquei olhando pra ela e disse que pra mim não daria pois talvez meu marido não fosse concordar. Eis que ela retrucou dizendo: “mas ele vem também.” Ela meu deu um papel com dia e horário se eu resolvesse aparecer para conhecer. E adivinha! Fomos os dois, meu marido e eu. Amamos tudo que ouvimos! Me apaixonei pelo frei Alberto. Uma sumidade quando falava de Francisco. Ele era apaixonado pelo que fazia. E o irmão Paulo? Que dupla dinâmica! Dois poços de sabedoria franciscana!

Como o tempo passa rápido. Já faz 14 anos e hoje somos professos. Quanta água passou embaixo desta ponte que atravessamos todos os dias em busca de sabedoria. Sede de seguir os caminhos de Francisco. Aprender sobre caridade, humildade e justiça para com todos à nossa volta e saber olhar o próximo realmente como irmão.

Aprendemos uma saudação que o mundo precisa ouvir e viver todo o seu significado. PAZ E BEM! Olha! Imagina isso no mundo! A paz que tanto precisamos e buscamos nos dias atuais e fazer o bem sem realmente olhar a quem. Olho no olho, mãos estendidas para quem necessita de um carinho, um afago.

São Francisco é isso tudo e muito mais! É o caminho que nos leva ao coração de Jesus através do bem que porventura fazemos ao próximo. Ordem Franciscana Secular. Viver em fraternidade no nosso estado de vida.

A minha Fraternidade Nossa Senhora dos Anjos é o meio que temos para viver e praticar a Paz e o Bem. Hoje somos muitos irmãos unidos nesse sonho que sonhamos um dia o mundo possa usufruir. Sou grata a todos que comigo atravessam essa ponte. Caminhando e até cantando a mesma canção pela paz mundial. Obrigado Fraternidade! Nem falo em nomes pois somos um. A todos:

Paz e Bem!

Ir. Carmen


GRANDE FINAL

I CONCURSO DE POESIA FRANCISCANA

1º LUGAR
Poema: “Falar de Francisco?” / Autoria: Boni

Total de votantes: 7 (jurados)

Total de pontos: 28


2º LUGAR
Poema: “Poema para a mão de Francisco” / Autoria: Clara Mariana

Total de votantes: 7 (jurados)

Total de pontos: 27


3º LUGAR
Poema: “Francisco irmão das criaturas” / Autoria: Maria Cândida

Total de votantes: 7 (jurados)

Total de pontos: 25



A alegria como tema fundamental da espiritualidade franciscana

Ir. Daniel Silbernagel

Vivemos em tempos de muita dor, muito sofrimento, de muitas perdas, muitas angústias diante do presente e do futuro próximo, seja por conta da pandemia do covid-19, seja pela crise econômica, crise racial, crise na saúde, crise na segurança e outros setores de nossa sociedade também mergulhada em uma crise moral.

Nesse contexto, cabe a cada um de nós, refletir sobre a alegria como tema fundamental da espiritualidade franciscana, enraizada na alegria cristã. Apesar de todas as contrariedades do tempo presente, temos que repetir como São Paulo: “Alegrai-vos sempre no Senhor! Repito, alegrai-vos” (Fl 4,4). O Papa Francisco também nos encoraja a vivermos na alegria, em sua Encíclica sobre a santidade. Não se trata de uma alegria ingênua, que foge das contrariedades, mas firmemente ancorada na Pessoa do Verbo Encarnado. “O Evangelho, em que resplandece a gloriosa cruz de Cristo, convida insistentemente à alegria” (GE, 5).

A espiritualidade franciscana é marcada por intensa alegria.

Não se trata de uma alegria infantilizada, ingênua ou contaminada pela lógica do consumismo. É uma alegria que caracteriza a própria personalidade de Francisco, mas que, a partir da sua conversão, ele cultivou no seguimento de Jesus Cristo, na acolhida dos dons do Espírito Santo, na prática de uma vida segundo o Evangelho.

A Legenda dos Três Companheiros nos brinda com um retrato muito luminoso do jovem e adulto Francisco. “Depois que se tornou adulto e perspicaz de inteligência, exerceu o ofício do pai, isto é, o comércio, mas de maneira muito diferente, pois era mais alegre e liberal do que ele, aficionado aos divertimentos e aos cânticos percorrendo a cidade de Assis de dia e de noite em companhia dos que eram iguais a ele, muito pródigo em gastar, a ponto de dissipar, em banquetes e outras coisas, tudo o que podia ter. (…) No entanto, era naturalmente cortês nos costumes e nas palavras, não dizendo a ninguém, de acordo com o propósito de seu coração, palavra injuriosa ou obscena, pelo contrário, como era jovem brincalhão e alegre, propôs jamais responder aos que lhe dissessem coisas vergonhosas.” (LTC 2-3)

Foto por hitesh choudhary em Pexels.com

Diante dessas informações podemos concluir que Francisco era dotado de uma personalidade, desde sua juventude, com traços de cortesia, generosidade, alegria, prodigalidade, comunicação de brincalhão, com certa excentricidade e que gostava de cânticos, festas, amigos. A alegria em Francisco de Assis e na sua espiritualidade tem raízes no seu temperamento, na sua personalidade, no seu processo formativo. Não foi unicamente fruto da intervenção Divina e do árduo itinerário de conversão. Vale lembrar que a graça supõe a natureza e age a partir da própria natureza e liberdade de cada pessoa.

De maneira simples, convido aos irmãos e irmãs, a meditarmos um pouco, sobre alguns pontos sobre o tema da alegria, como parte fundamental de nossa espiritualidade, como nos encorajada o Francisco de Roma e o Francisco de Assis, sendo uma Igreja em saída, do jeito dos dois “Franciscos”, cada qual em seu tempo histórico, mais que nos encorajam, a nunca perdermos a alegria, mesmo que estejamos cercados de luzes ou sombras.

Foto por Matheus Bertelli em Pexels.com

Posteriormente, meditaremos sobre a alegria como fruto de conversão, a alegria franciscana na pobreza e com os pobres, a alegria franciscana em Jesus Cristo e por fim, a alegria na Fraternidade. Por isso, sejamos irmãos e irmãs da alegria e da esperança: “Mensageiros da perfeita alegria, procurem, em qualquer circunstância, levar aos outros a alegria e a esperança” (Regra da OFS n.19).


Continua…


Ir. Daniel Silbernagel
Fraternidade Nossa Senhora dos Anjos

MEDITANDO A “CARTA DE SANTO ANTONIO”

Francisco ao entrar na “caverna”

Ir. Ângela

Francisco ao entrar na “caverna”, santuário de sua alma, onde reverencia o Pai, descobre a grandeza do simples. Ali se deixa arrebatar e no convívio místico se torna um com o Todo. Percebe que não precisa de livros, músicas, imagens, qualquer apoio para a divina conexão e, se permite apenas “SER” diante d’Aquele que É. Diante das descobertas que fez, entende-se o seu cuidado ao escrever a Santo Antônio, com poucas e sábias palavras adverte ao seu bispo, para que o intelectual não se sobreponha ao espírito de oração nos estudos dos frades.

MEDITAÇÃO

A oração reconstrói o espírito e faz do amor o sentido de uma existência. Ela cura as feridas, liberta as amarras que o mundo vai colocando em nós. A prisão sempre será um lugar de sofrimento. A conexão com o divino rompe os elos desta corrente mundana e nosso espírito pode voar para o Alto, para o Belo e a Paz…

Orar é abrir-se ao divino, com ou sem palavras.

Orar é sentir-se um, com o divino.


Orar é deixar-se amar, pelo divino.


Orar é “saber”, mesmo sem compreender que somos parte desta essência divina.


Orar é acolher a Luz para ser Luz …


Acolher o Bem, para ser bom…

Nesta entrega não são essenciais, apesar de importantes, os estudos profundos; estes podem nos conduzir a uma arrogância espiritual, antes de nos conduzir aos irmãos e a Deus.


Nesta entrega basta a simplicidade, basta a alma pura, basta o Pai. Ele realiza sua misericórdia na caminhada daqueles que são dóceis e se reconhecem pequenos.

Creio que para sermos franciscanos temos que entender o valor da vida de oração para o Pai Francisco, temos que orar juntos, orar um pelos outros e ser Presença, ser irmão, priorizar a Fraternidade. A família que não se frequenta perde o calor da amizade, a riqueza das partilhas e a graça do amor fraterno.

Ir. Ângela

SEMIFINALISTAS

I CONCURSO DE POESIA FRANCISCANA

Classificação: Semifinal D: 28/11 a 04/12
Poema: “Poema para a mão de Francisco” / Autoria: Clara Mariana

Total de votantes: 320

Total de pontos: 1.153

Classificação: Semifinal C: 21/11 a 27/11
Poema: “Francisco irmão das criaturas” / Autoria: Maria Cândida

Total de votantes: 153

Total de pontos: 497

Classificação: Semifinal B: 14/11 a 20/11
Poema: “Ele é Francisco” / Autoria: Rivotorto

Total de votantes: 126

Total de pontos: 388


Classificação: Semifinal A (07/11 a 13/11)
Poema: “Falar de Francisco?” / Autoria: Boni

Total de votantes: 237

Total de pontos: 743


Um ano de serviço

CONSELHO DA FRATERNIDADE

NOSSA SENHORA DOS ANJOS

28/09/2019 – 28/09/2020

1º Ano de Serviço

“…Até aqui nos ajudou o Senhor!”

(I Sm 7,12)

Vida de fraternidade, muitos desafios…  mas também muitas conquistas!!! Nossa missão: animar, cuidar para que os nossos irmãos perseverem e que vivam o Evangelho segundo à maneira de São Francisco de Assis, mantendo assim o nosso carisma.

A pandemia… chegou e se instalou em nossas vidas, a princípio para nós este poderia ser o maior de todos os desafios, na concretização da nossa convivência fraterna, pois trouxe o distanciamento. Mas Deus em sua grandeza, vem nos mostrar que apenas devemos ser dóceis à ação do Espírito Santo e que assim sendo, prevalece sua vontade em nós. E assim se fez,  nosso assistente espiritual, inspirado nos animou e começamos a colocar em prática vários projetos e  a fraternidade começa a superar os desafios tecnológicos e com isso,  o crescimento e a convivência fraterna remota (reuniões mensais, vivência quaresmal, noites oracionais, renovação da profissão e a formação permanente).

Quanta alegria por tudo isso!!!

Obrigada Senhor, pelas dificuldades enfrentadas, pois com elas aprendemos a obedecer, ouvir e executar os planos suscitados para nós; de forma remota, mas com entrega e aceitação do novo que nos foi apresentado.

Agora, com sentimento de gratidão à Deus, ao Frei Ademir e aos irmãos; pedimos que o Senhor continue a nos abençoar e a nos conduzir nesta missão, para que possamos chegar ao final e poder dizer:

“Combati o bom combate, terminei a minha carreira, guardei a fé.

(II Tm 4, 7)

Irmã Iêda Monteiro da Cruz
                Ministra

Vocação: uma grande alegria!

Quando tudo parece incerto…

… quando estamos privados de abraços fraternos,

Deus nos envia
irmãos para recordar seu imenso amor e zelo por cada um de nós…

Com grande alegria a fraternidade Nossa Senhora dos Anjos celebrou, de forma virtual devido a pandemia, no dia 19 de setembro de 2020, o Rito de Admissão ao tempo de formação dos irmãos Carlito Lopes de Oliveira Junior, Maria Conceição Lopes e Marta Altomare Catão Rodrigues, que iniciam sua caminhada de formação na Ordem Franciscana Secular. Recebemos com gratidão este dom de Deus que é cada irmão, que nos ajuda a seguir um caminho evangélico tendo Deus como centro de nossa vida, contando com as bênçãos de São Francisco e Santa Clara para buscarmos sempre a radicalidade da fé.


Como São Francisco rezava

Quem conhece Francisco, por pouco que seja, percebe que para ele a oração tornou-se vital em seu processo de santificação.

Exorta que seus irmãos jamais percam o espírito oracional, fonte que sustenta os relacionamentos humanos.

Na juventude, Francisco sonhava com uma realidade mais elevada e acima das experiências mundanas. Sentia que esses sonhos não eram apenas seus.

De onde provinham? Por que surgiam?

Inquieto meditava, abria seu coração para acolher o que lhe fosse manifestado.

Quando o coração se abre a Visita acontece.

E indaga:

“Quem é maior, o servo ou o Senhor?”

– O Senhor, é claro, me ajude que eu veja!” Foi a resposta pronta e imediata. Implora esclarecimento, aguarda e persiste.

Naqueles tempos sua oração era de busca, de expectativa.

Uma vez acolhida, a Visita sempre retorna e “no silêncio do quarto” se tornaram amigos, íntimos e amorosos… e cada dia mais no espírito se comunicavam.

O que foi implorado foi concedido.

Recebe ordem do Alto: “Vai reforma minha Igreja”. Obediente, acolhe.

Agora já não reza como antes, os “sonhos”, se tornaram missão, comprometimento, entrega pessoal e irrestrita.

A oração de busca se transformou em atitude de obediência.

E o Senhor utilizou sua tendência natural, sua ambição de grandeza humana para entrar em sua história, conduzindo-o para algo bem maior do que havia imaginado e consolidou nele suas virtudes naturais de magnanimidade, generosidade e cortesia.

E fiel à inspiração original e ao “chamado”, inicia sua conversão que o

conduzirá à sua santificação. Caminhando com os olhos fixos no Senhor, em Francisco, a oração se transformou em vida.

Ângela Maria de Alburquerque Lopes

Festa dos Estigmas de São Francisco de Assis

No Monte Alverne, Francisco mergulhou no mais profundo
do mistério de Deus! Ao receber os estigmas de Jesus
em seu corpo, repetia sem hesitar: “Meu Deus e meu
Tudo!”.

Francisco estigmatizado,
Mas nunca fragilizado!
Tiveste a honra de partilhar, com Cristo, Sua dor intensa,
Como foste inteiro em Sua presença!
Ah, Francisco, mergulhaste fundo no mistério do redentor!
De muitos corações, tu és o salvador!
Teu ser, em festa, não podia se calar:
“Meu Deus e meu Tudo!”, exclamavas sem cessar!
Tua alegria era perfeita no Senhor,
Maior do que qualquer forte dor!
Francisco estigmatizado, incansável!
Teu amor é insuperável!

Viviane Gonçalves Noel